Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SAY HELLO TO MY BOOKS

SAY HELLO TO MY BOOKS

Best of 2016 | Livros, Filmes, Séries, Música

2016 foi repleto de bons livros, séries e filmes. E hoje partilho os melhores, os que mais me marcaram e aqueles que recomendo a toda a gente. Faz-me muita confusão quando alguém diz que não lê muito, que não tem o hábito de ver filmes ou que não acompanha nenhuma série porque, para mim, são coisas essenciais no dia-a-dia. E como nem a meio de Janeiro estamos, ainda vamos muito a tempo de partilhar o best of de 2016. 

 

LIVROS

Foi um ano de boas leituras, mas este quatro livros entraram para a lista de preferidos, mexeram muito comigo enquanto os lia e trouxeram-me uma nova forma de ver o mundo depois de os ler. Cinco estrelas todos.

 

IMG_8952(1)-horz.jpg

 

A Sangue Frio, Truman Capote (opinião aqui)

Um livro de não ficção, escrito por Capote como uma reportagem romantizada. O facto de ser uma história real mexeu muito comigo. Conhecer pormenores por trás de um assassinato de uma família inteira numa cidade do interior dos EUA, saber o porquê, entrar dentro da cabeça dos assassinos...tudo isso foi possível com a mestria de Capote. Li em Janeiro, mês em que se comemorava 60 anos da sua publicação. Aconselho a toda a gente. Não deixem de ler. 

 

The Help | As Serviçais, Kathryn Stockett

Um dos melhores livros que já li. Também foi um dos melhores filmes que vi em 2016, como conto lá em baixo. Não conseguimos parar de ler, imaginamos cada cenário descrito pela Skeeter, sentimos o aroma de cada cozinhado feito pela Minnie e sofremos a dor das desgraças da Aibileen. É impossível ficar indiferentes a estas personagens, a esta história. Leiam!

 

Capitães da Areia, Jorge Amado (opinião aqui)

É lindo! De uma beleza poética fora do normal. A vida e os problemas das crianças orfãs e abandonadas da Bahia atacam-nos o coração e ficam connosco muito depois de terminarmos de ler a última página do livro. Jorge Amado tinha um dom. E ainda bem que o deu ao mundo. Li-o no verão, eu própria com os pés na areia e a sentir a brisa do mar, enquanto pensava na sorte por ter a vida que tenho. 

 

Ensaio sobre a Cegueira, José Saramago (opinião aqui)

Não vale a pena dizer, mais uma vez, o que foi este livro na minha vida. Senti-me fisicamente incomodada. Senti repulsa, revolta, admiração e compaixão. É uma obra-prima! Se ainda não leram, peguem nele imediatamente!

 

SÉRIES

Há muitos anos que sou viciada em séries. E digo viciada porque não consigo ver apenas uma, vejo várias ao mesmo tempo, e porque não consigo ver na televisão um episódio por semana, vejo no computador vários episódios seguidos, se for possível. Em 2016 continuei a ver aquelas que já sigo há anos e comecei a ver algumas novas. Uma surpreenderam-me, outras desiludiram-me e não passei do episódio piloto. Destaco três que marcaram o meu 2016.

 

series2016.jpg

 

The Stranger Things (1ª Temporada)

Foi a série-sensação do ano. Não havia quem não falasse de Stranger Things. Decidi experimentar e em dois dias vi a primeira temporada completa. É incrível, tem personagens excelentes como a Eleven e todos os miúdos, tem a Winona Ryder a fazer um papelão, passa-se nos anos 80 e tem banda sonora dessa época (adoro!), tem referências a vários filmes de culto dessa altura também e tem vários mistérios que nos fazem ficar agarrados ao ecrã até ao último minuto do último episódio. 

 

How to get away with murder (2ª temporada)

É uma das minhas séries preferidas da actualidade. Adorei a primeira temporada e acho que a segunda ainda foi melhor. Tenho medo de começarem a esticar demasiado daqui para a frente, a terceira já me parece estar a entrar por caminhos apertados, mas vamos ver... Adoro a Viola Davis no papel da advogada Annalise Keating, não é à toa que ganhou um Emmy por este papel. É das melhores actrizes que há por aí. Os mistérios, as mentiras, todo o enredo é bom, e até os dramas pessoais dos personagens acabam por ter muito peso dentro dos casos que têm para resolver, sempre com a sombra de acontecimentos mais negros que os faz estarem todos interligados e que são o fio condutor da série. 

 

Game of Thrones (6ª temporada)

Não podia deixar de ser. Depois de duas temporadas mais fraquinhas, a sexta season de GoT chegou com tudo! Revelações, discussões, vinganças e mortos para dar e vender. O último episódio foi brutal, a fazer jus à reputação da série. Estou curiosa para ver como vai ser a sétima temporada, sem estar cá fora o sexto livro, mas vamos a isso. 

 

Menção Honrosa: Orange is the new black (4ª temporada)

Apesar de muitos dizerem que é "série de gaja", gosto muito e depois de ter achado a 3ª temporada menos boa, a quarta voltou a ter momentos incríveis. O leque de personagens é excelente, diferente de muita coisa que se vê por aí. 

 

Em 2017 quero ver Narcos, The Crown, Black Mirror e Westworld pela primeira vez. Quero ver as temporadas finais de Girls e Pretty Little Liars. Quero aguentar a seca que está a actual temporada de Grey's Anatomy. Quero pôr Empire, Suits, The Affair e House of Cards em dia. Quero continuar a ver Modern Family, The Big Bang Theory e Younger. Quero rever Gilmore Girls e ver os novos episódios. 

 

FILMES

Confesso que todos os filmes de 2016 que vi em 2016 não me encheram as medidas. É normal, os melhores estão a chegar agora, na corrida para os Óscares. Por isso, este TOP é dos cinco filmes que mais gostei de ver em 2016, não tendo necessariamente estreado esse ano. 

 

filmes2016.jpg

 

The Revenant (2015)

Logo em Janeiro passei 3h em stress no cinema a acompanhar a jornada de vingança e sobrevivência do DiCaprio. Gostei muito e ele ganhou o Óscar, finalmente. 

 

Room (2015)

Também vi no cinema, no início do ano, e mexeu imenso comigo. O puto faz um papel brutal e a Brie Larson também está incrível, tanto que ganhou um Óscar. Muito bom filme. 

 

Inside Out (2015)

É, sem dúvida, o filme de animação que mais gostei nos últimos anos. A ideia é genial, as personagens estão muito bem pensadas e caracterizadas, tem pormenores muito bem apanhados e é um filme divertido e pedagógico. Para crianças e adultos. 

 

The Help (2011)

Foi depois de ver o filme que decidi pegar no livro, parado na minha estante há mais de um ano. Não sei dizer se gosto mais do livro ou do filme. A Viola Davis, a Octavia Spencer e a Emma Stone merecem todos os aplausos pela interpretação das personagens. É um filme bonito, verdadeiro, que nos envolve e nos faz pensar. Todas as personagens têm alguma particularidade especial, todas passam uma mensagem importante, todas nos fazem viver aquela história quase como se estivessemos lá. Tornou-se num dos meus filmes preferidos. 

 

Amigos Improváveis (2011)

Outro filme de 2011 que entrou para a lista de melhores filmes que vi em 2016 (e sempre) é este. Um filme francês que conta a história de amizade entre um milionário tetraplégico e do seu auxiliar de enfermagem de raízes humildes. Baseado em factos reais, transporta-nos para a aventura que é sair da zona de conforto e explorar o que pessoas que à partida nada têm a ver connosco, podem trazer à nossa vida. Um dos filmes franceses mais rentáveis de sempre. Demorei muito para vê-lo, não façam o mesmo erro. 

 

MÚSICA

Eu digo muitas vezes que tenho alma antiga. Os meus gostos literários pesam mais para os clássicos, a maior parte dos meus filmes preferidos são do século passado e em relação à música não é muito diferente. Dêem-me 70's, 80's e 90's e sou uma mulher feliz. Mas, apesar disso, todos os anos surgem novas músicas que me entram no ouvido e ficam em loop na minha cabeça dias e meses a fio. Foi o caso destas três. 

 

 

 

 

4 comentários

Comentar post