Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SAY HELLO TO MY BOOKS

SAY HELLO TO MY BOOKS

18
Jan17

Harry Potter e a Pedra Filosofal, J.K. Rowling

FullSizeRender (25).jpg

 

Entrei atrasada nesta viagem para Hogwarts, consciente da importância que Harry Potter tem para milhões de leitores em todo o mundo. Tinha receio de não gostar dele. Mas no fim do primeiro capítulo apetecia-me ler mais. No segundo, percebi que estava realmente interessada na história e no terceiro capítulo já estava rendida. Foram precisamente estes três capítulos que J.K. Rowling enviou para várias editoras até uma delas dizer que queria ler o resto. 

 

"Vão escrever-se livros a seu respeito, todas as crianças do nosso mundo conhecerão o seu nome!"

Professora McGonagall

 

Já conhecia a ideia geral da história, que não vale a pena contar aqui porque sou, provavelmente, a única alminha que nunca tinha lido o livro. Vi o primeiro filme há vários anos e, apesar de me lembrar do essencial, muitos acontecimentos e pormenores tinham desaparecido. Portanto, li-o quase virgem sobre o mundo Harry Potter e a partir daqui será uma descoberta completa. 

 

Confesso que não esperava gostar tanto. Li-o em 48 horas. Dei por mim a torcer pelo Harry, a revirar os olhos quando aparecia o Malfoy e a achar imensa piada ao Ron e aos irmãos Weasley. Não simpatizei muito com a Hermione, é tipíca colega marrona, que dá graxa aos professores mas que queremos manter por perto porque pode ser útil. Espero descobrir-lhe mais qualidade nos próximos livros. 

 

Obviamente que é muito diferente ler uma história destas com 13 anos (idade que tinha no ano 2000 quando recebi o livro) ou com 29. Hoje em dia o meu gosto e exigência literária são muito diferentes de quando era adolescente. Mas em nenhum momento desta leitura quis analisar a escrita, os diálogos e o desenvolvimento dos personagens. Deixei-me apenas levar pela história. E foi o melhor que fiz. Li-o com olhos inocentes e mente aberta, sem os filtros críticos que utilizamos ao ler livros de ficção. E, mesmo com esta idade, dei por mim a desejar uma varinha que satisfizesse os meus desejos e a querer colocar um manto de invisibilidade na wishlist do próximo aniversário. 

 

"Não se resolve nada a divagar em sonhos, quando nos esquecemos de viver."

 Professor Dumbledore

 

E a verdade é que, de uma forma muito simples, a magia sai das páginas impressas para a nossa realidade e alimenta qualquer imaginação por mais céptica que seja. Não é um livro para crianças, é uma história para todos os que não têm preconceito de trazer Fantasia à rotina diária. Lê-se de um fôlego, sem dar pelas páginas a passar, e com vontade de fazer um desviozinho para Hogwarts enquanto vamos para o trabalho de manhã. 

 

Contei-vos as minhas primeiras impressões sobre o livro. Após terminar a leitura, os pensamentos são os seguintes:

- Estava certa sobre o carácter do Snape.

- Tanta coisa com a pedra filosofal e em menos de nada pronto, acabou-se, destruiram-na e já está...  

- Não me punham numa vassoura a jogar Quidditch nem por nada. 

- Medo de andar naqueles corredores a meio da noite. 

- O Voldemort pareceu-me um vilão fraquinho neste livro. Acredito que ganhará força daqui para a frente. 

- Gosto da mãe do Ron. 

- O Dumbledore é fofinho. 

- Também queria que a comida me aparecesse no prato já pronta e quentinha. 

- Gostava de estudar numa escola assim. 

 

J. K. Rowling conseguiu criar todo um universo de criaturas, regras e palavras novas, jogos inventados, delineou e planificou cursos de magia, colocou em papel todo um mundo novo e admiro-a por isso. A par da criatividade e febre de Harry Potter só encontro "O Senhor dos Anéis" de Tolkien e as "Crónicas de Gelo e Fogo" de George R. R. Martin. E apesar de dizer que Fantasia não é dos meus géneros preferidos, confesso que de vez em quando sabe muito bem fugir da realidade do comum dos mortais e viajar até terras onde dragões, feitiços, bruxas e magia são os protagonistas. 

 

Este livro deixa no ar alguns mistérios e segredos que aguçam a curiosidade do leitor para os próximos volumes. É bom saber que a história não termina aqui e há mais seis livros para ler. E relativamente a uma questão importante: ainda não fiz o teste para saber qual a minha equipa. Sabem a vossa? 

 

Título: Harry Potter e a Pedra Filosofal

Autor: J. K. Rowling

Edição: Editorial Presença, 1999

Ano de publicação: 1997

 Nº páginas: 317

6 comentários

Comentar post