Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SAY HELLO TO MY BOOKS

SAY HELLO TO MY BOOKS

Maratona Literária 12 horas

Ontem, domingo, decidi fazer uma maratona literária de 12 horas. Já vi várias pessoas de canais do booktube a fazer, principalmente maratonas 24 horas, mas acho que isso é demais e a questão de não dormir não me anima. Desde que vi a Tatiana Feltrin a dividir o tempo e fazer uma maratona de 24h dividida em dois dias, pensei que tinha que experimentar. Mas como não podia dedicar o fim de semana inteiro à leitura, decidi fazer só domingo para me testar a mim própria. 

 

FullSizeRender (4).jpg

 

Então, estava tudo a postos, das 8h às 20h era só ler. Acordei cedo, coisa que raramente acontece aos domingos, mas como decidi que este era um fim de semana mais calmo (depois dos festejos da semana passada) foi tranquilo. Separei previamente os livros que iria ler durante o dia: O Ano do Sim, Nos Bastidores de Hollywood e Histórias do Fim da Rua. Um de ficção e dois não ficção. Dois autores portugueses e uma norte-americana. A ideia era ter metas a cada duas horas. "Durante duas horas vou ler este livro e tentar chegar a tal página". Assim  acordei, tomei o pequeno-almoço e às 8h e pouco comecei a ler, ali mesmo na cozinha enquanto bebia o meu café com leite e comia uma torrada. Comecei com a Shonda, que li até às 10h, hora em que peguei no Mário Augusto, já deitadinha na minha cama. Tenho que confessar que foi daqueles dias em que a cama foi rainha. Ronha máxima. Não estava sol, o dia nublado, não me apeteceu sequer ir ler para o jardim nem para perto do mar. E que bem que me soube. Entre banho e almoço pelo meio, fui lendo curiosidades sobre Hollywood até às 14h. A essa hora peguei nas histórias que o Mário Zambujal nos conta com tanta mestria. Onde nos revemos, ou a alguém que conhecemos, no meio dos seus personagens loucos e divertidíssimos. Sabem quando ficam felizes porque um autor tem uma obra extensa que ainda vão poder ler durante muito tempo? Sinto isso com ele. Acho que ali por volta das 16h30 adormeci um bocadinho - tenho que ser sincera. Já perto das 18h voltei a pegar na Shonda, mas já estava cansada, com os olhos quadrados de tantas páginas viradas - e já vos disse que tenho que ir ao oftalmologista? A minha vista está cada vez pior a ler. Por isso pousei a Shonda e acabei por ver um episódio de uma série na última hora de maratona. Às 20h terminou.

 

Confesso que no início do dia foi mais fácil estar mais concentrada. Ao final do dia já tudo  me distraía. Não desliguei o telemóvel e sempre que entrava uma mensagem, um telefonema eu parava. Fiz pausas também para ver as notícias do dia, para lanchar, para apanhar ar, para ver o que se passava nas redes sociais. E acho que sem pausas não dá. O cérebro precisa de uns descansozinhos. 

 

Valeu a pena? Posso dizer que sim, por ter sido um dia dedicado à leitura, como há muito não tinha. Tive tempo. Para mim e para ler. E isso às vezes é um luxo. E melhor, não estava comprometida com ninguém. Quis fazer esta experiência por mim, corresse bem ou mal, só dependia de mim. Mas não acho que vá repetir tão cedo uma maratona intensa destas. Porque chegamos a um ponto que parece que temos de ler porque estabelecessemos aquele objetivo e a finalidade da leitura não é essa. Mas não me deixei stressar com isso, tanto que, como vos disse, vi uma série pelo meio e até tirei uma sestinha. Acho que ter leituras diversificadas ajuda a cansar menos. Ir mudando de local de leitura também.

 

Mais uma vez verifico que sou uma leitora lenta. Leio devagar, saboreio as palavras, as frases, interiorizo as ideias que o autor quer transmitir. Quantas e quantas vezes releio parágrafos para tirar todo o sentido que ali está. Volto atrás, páro para pensar numa frase, continuo. Não sou uma leitora voraz. Já o sabia. Ainda assim, considero que consegui ler bastante, dada a minha média de leitura diária (que às vezes nem diária é). Li 101 páginas de O Ano do Sim. Li 109 páginas de Nos Bastidores de Hollywood. Li 111 páginas de Histórias do Fim da Rua. No total foram 321 páginas.  Para alguns pode ser pouco, para outros muito. Eu fiquei feliz, tendo em conta as minhas características pessoais como leitora. 

 

Por fim, posso dizer que é bem giro ir partilhando no Instagram e ter interacção de várias pessoas que também já leram aqueles livros, que dão opiniões, que dizem que também querem experimentar fazer uma maratona destas ou apenas que falam comigo naquelas horas porque sim. Obrigado. 

 

8 comentários

Comentar post