Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SAY HELLO TO MY BOOKS

SAY HELLO TO MY BOOKS

"Where'd You Go, Bernadette?" vai mesmo virar filme

Quando li "Até ao Fim do Mundo" (título em português) há dois ou três anos, já se falava na possibilidade de se tornar filme. E, a verdade, é que a forma original como está escrito (com troca de notas, emails, recados) não nos retira a capacidade de visualizar aquelas cenas como se de um filme se tratasse. A própria autora, Maria Semple, escreve argumentos para séries de televisão, portanto tem todo um know-how em tornar a escrita interessante neste sentido. O livro, lançado em 2012, tem uma das capas mais giras que vivem na minha estante. Passada em Seattle, é uma história divertida, que nos faz passar um bom bocado, apesar de ter achado o final pouco credível.

 

Na altura, já se falava que podia ir para o cinema e cheguei a ler várias notícias sobre as possíveis atrizes que fariam o papel de Bernadette Fox, arquiteta e mãe, meia louca, que tem fobia a pessoas, no geral, e a gente estúpida em particular. Mulheres com personalidade forte e um bocadinho apanhadas da cabeça são as minhas personagens preferidas, sempre. Enfim, nunca mais li notícias sobre o filme e calculei que o assunto tivesse ficado em águas de bacalhau. Mas esta semana, a atriz Troian Bellisario, que sigo no Instagram (a Spencer de Pretty Little Liars), partilhou uma fotografia onde mostra que faz parte do projeto e que está, finalmente, a andar para a frente.

 

troian.jpg

 

Realizado por Richard Linklater, o filme conta com nomes de peso no elenco. Ao que parece será Cate Blanchett a assumir o papel de Bernardette Fox e, confesso, que gosto muito da escolha. Acho que vai encarnar a personagem na perfeição. Mas só vamos conseguir ver o resultado no ano que vem, já que está previsto estrear só em Maio de 2018

 

cate-blanchett-richard-linklater-whered-you-go-ber

5 Adaptações Cinematográficas muito boas

Se um livro é bom (e mesmo que não seja assim tanto) é certo e sabido que alguém lhe vai pegar para transformar em filme. Algumas adaptações saem assim-assim, outras não valem nada, mas há umas que se tornam filmes do caraças e é dessas que vos venho falar. Daquelas histórias que lemos e são muito boas, mas depois o filme também o é e já nem sabemos se preferimos o filme ou o livro. Seja porque o realizador fez um trabalho brilhante, seja porque os actores deram tudo e têm interpretações excelentes, seja porque, mesmo já conhecendo e gostando da história, o filme nos conseguiu surpreender pela positiva, ou ainda porque criou ambientes e personagens tal e qual tínhamos imaginado ao ler a história. 

 

TheHelp_cartaz-horz.jpg

 

The Help / As serviçais 

O livro é espetacular, tornou-se num dos meus preferidos, mas o filme não lhe fica nada atrás. Tem algumas mudanças em relação ao livro, como é normal, mas nada que atrapalhe a experiência de ver esta história personificada por Viola Davis, Emma Stone e Octavia Spencer, que ganhou Óscar de Melhor Actriz Secundária no papel de Minnie. É uma história incrível que merece ser lida, ser vista e ser partilhada. Vale muito, muito a pena ver o filme. 

Classificação filme: 9/10

 

The wolf of Wall Street / O Lobo de Wall Street

Se dizem que o livro é bom, então não sei o que o filme é. O Leo DiCaprio está brutal, é um dos papeis dele de que mais gosto. De certeza que o senhor Jordan Belfort, corretor da bolsa nova-iorquino, cuja história inspirou o livro, se sentiu lisongeado por ter um filme tão bom a contar como conseguiu atingir a sua gigantesca fortuna aos vinte e poucos anos. 

Classificação filme: 8/10

 

The Fault In Our Stars / A Culpa é das Estrelas 

Está nesta lista porque o livro foi o YA que mais gostei nos últimos anos (li-o em 2014) e estava à espera que o filme fosse fraquinho. Mas surpreendeu-me pela positiva. A Shailene Woodley e o Ensel Elgort estão muito bem nos papéis de Hazel e Gus, dão credibilidade às personagens e saíram exatamente como os imaginei quando li o livro. Curiosidade: o filme fez-me chorar e o livro não. 

Classificação filme: 7/10

 

Into the Wild / O Lado Selvagem 

É um dos meus filmes preferidos de sempre. Baseado na história verídica de Christopher McCandless, um jovem americano que mal sai da Universidade aos 22 anos, decide prescindir da sua vida privilegiada e partir em busca de aventura. Deixa para trás os bens materiais e segue à procura de um ideal de vida onde a natureza e a solidão se completam. Toda a história tem um significado díficil de explicar para quem ainda não a conhece. Tocou-me muito, fez-me pensar na vida, nas pessoas que me rodeiam e, sobretudo, no conceito de felicidade. Confesso que não li o livro, mas quero muito, porque se o filme é profundo, imagino o livro... É daqueles filmes que toda a gente devia ver.

Classificação filme: 9/10

 

Quarto / Room 

A Brie Larson ganhou Óscar de Melhor Actriz com este filme e o miúdo, Jacob Trembley, também devia ter ganho um. É uma história dura, angustiante, revoltante, mas as interpretações no filme são imperdíveis. O amor daquela mãe pelo filho, fruto de anos de violação, é lindo. Tudo o que ela faz para lhe criar um mundo dentro de uma cave miníma e nojenta é de cortar o coração. É um filme muito bom!

Classificação filme: 8/10