Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SAY HELLO TO MY BOOKS

SAY HELLO TO MY BOOKS

Seg | 10.12.18

Caviar é uma Ova, Gregorio Duvivier

IMG_1932.jpg

 

Queria ser amiga do Gregorio Duvivier desde que comecei a ver o Porta dos Fundos, no Youtube, já perdi a conta aos anos. Queria ser amiga dele depois de assistir a uma conversa ao vivo, no São Jorge, com o Ricardo Araújo Pereira e outros membros do Porta. Queria ser amiga dele desde que era casado com a Clarice Falcão (sou fã também) e, principalmente, depois de ver este vídeo onde, juntamente com o Ricardo Araújo Pereira, debate o acordo ortográfico e as diferenças da língua entre Portugal e Brasil - é maravilhoso, vejam. Por tudo isto, fui acompanhando a vida dele, pelas redes sociais, como os amigos virtuais fazem. Soube que se separou da Clarice, que casou novamente e foi pai. Continuei a vê-lo no Porta dos Fundos e a acompanhar a amizade com o Ricardo, com todo o seu humor e troca de livros pelo meio. Comecei a seguir o Você é o que lê (que veio ao FOLIO, em Óbidos, em Setembro) onde juntamente com a Maria Ribeiro (que adoro) e o Xico Sá, correm o Brasil e enchem teatros para conversar com o público sobre livros e literatura. 

 

Depois disto tudo, só faltava ler algum dos livros dele. Colmatei essa falha, este Verão, com o seu "Caviar é uma Ova" (editado pela Tinta da China), que reúne várias crónicas que escreveu para o jornal Folha de São Paulo, entre 2013 e 2015. Apesar de alguns temas serem datados, por falarem de acontecimentos políticos ou mundiais da época, como o Mundial de 2014, outros são intemporais e tinham tanto sentido em 2013 como têm agora, cinco anos depois. São 235 crónicas divididas entre ficção e não ficção, entre crítica, sarcasmo, desabafo e homenagem. Tanto nos fala de literatura e autores que o inspiram, como fala da avó, dos pros e contras da Internet e de trivialidades do dia-a-dia, sempre com um olhar crítico e perspicaz. Algumas crónicas satirizam a realidade que o envolve, enquanto outras são pura ficção, pequenas histórias com que Greg, e a sua mente genial, nos faz rir e refletir ao mesmo tempo. Cada crónica é uma surpresa, não sabemos o que a próxima página nos reserva, se é um texto com início, meio e fim, se é um diálogo entre personagens, se é uma lista de neologismos,  uma anedota, uma carta aberta ou algo mais. O livro surpreende-nos do início ao fim. 

 

A criatividade é grande seja a falar do estado da política no Brasil, futebol, religião ou assuntos tão banais, como ovos e paus de selfie. A forma com que escolhe passar a mensagem em cada uma, de forma tão inteligente e certeira, leva-nos a ler crónica atrás de crónica sem dar pelo tempo passar. Escreve sobre a rotina de forma tão certeira, que é como se entrasse na nossa mente e conseguisse pôr em palavras o que não conseguimos. Vale muito a pena. Leiam, por favor!

 

Qualquer opinião sobre um livro de crónicas será sempre muito subjetiva e pessoal. Tem a ver com os gostos de cada pessoa e a empatia e identificação que sentimos com o autor e a sua forma de estar na vida. E eu admiro-o, não só enquanto profissional mas também como pessoa. Acho-o uma rock star do humor e da sátira, mas também uma pessoa que luta por aquilo que acredita, pela igualdade de sexo e género, pela cultura, pela não violência. Por isso só me resta terminar como comecei. Já queria muito ser amiga do Greg. Depois de ler este livro, ainda mais. 

 

IMG_1961 (1).jpg

 

Título: Caviar é uma Ova

Autor: Gregorio Duviviver

Edição: Tinta da China

Ano de publicação: 2015

 Nº páginas: 236

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.