Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SAY HELLO TO MY BOOKS

SAY HELLO TO MY BOOKS

Qui | 22.11.18

Regras para Descolagem, Carolina Paiva

IMG_1629.jpg

 

Tentei lê-lo sem me lembrar que conheço a Carolina. Queria ter uma opinião imparcial e, na verdade, isso foi mais fácil do que pensava. O facto de o protagonista ser homem ajudou a desviar qualquer ligação que pudesse fazer entre os seus pensamentos e tudo o que conheço dela (que é uma das minhas miúdas dos livros, parceira de Clube Literário e de regabofes no Whatsapp).  

 

O título, um pouco rígido e formal até, não nos dá qualquer pista sobre o que poderá sair dali. É sobre viagens de avião? É um manual? É sobre pilotos e hospedeiras?, pensei eu. A sinopse esclarece logo que Lourenço, o protagonista, é um detetive privado que, a bordo de um voo internacional, conhece um homem que acaba por fazê-lo pensar no seu passado, revisitar memórias e analisar algumas normas de conduta profissional que acabou por quebrar. Ao mesmo tempo que conhecemos todos os traumas, amarguras e desilusões da vida de Lourenço, percebemos a grande metáfora que o título representa. Para mim, descolagem aqui significa liberdade, significa um primeiro passo rumo ao futuro, o deixar para trás tudo o que lhe faz mal. Este voo acaba por ser uma viagem que Lourenço faz ao interior de si próprio, o enfrentar fantasmas antigos e o conformar-se com o que não pode mudar. As regras que segue, ou devia, como detetive profissional, acabam por baralhar-se com a sua vida pessoal e são elas que, de forma muito particular e irónica, lhe abrem os olhos para o que deve mudar.  

 

Apesar de estar descrito como policial/thriller, não acho que o seja no verdadeiro sentido da palavra. Ter falado com pessoas que já o tinham lido, e até com a própria Carolina, foi crucial para não o enquadrar nestes géneros de forma literal. Encarei-o como um romance e desfrutei-o dessa forma. Foi o melhor que fiz. Talvez por isso tenha gostado mais. Achei-o uma obra de estreia muito consistente e promissora. Teria gostado que o tal último caso fosse mais explorado, senti falta disso. E achei que a parte das memórias da vizinha adolescente se estenderam um bocadinho. A linha temporal teve uma ou duas falhas, mas nada que me incomodasse em demasia. Vamos percebendo, entre passado e presente, que situações lhe desenharam este carácter amargurado, melancólico e solitário. Todas as perdas que sofreu, ligadas ao sexo feminino, moldaram a forma como hoje encara o amor, numa maré que se divide entre a frieza e a possessividade

 

Tive indecisa entre dar três ou quatro estrelas. Decidi-me pelas quatro, por três motivos: a Carolina conseguiu, na obra de estreia, construir um enredo interessante e complexo e, por isso, merece todo o mérito; porque sublinhei várias passagens com as quais me identifiquei (e isso para mim é um fator importante na hora de avaliar qualquer livro); porque nunca duvidei da voz masculina da personagem principal e acho isso de valor. Estas - quase - 170 páginas lêem-se rápido, a escrita é fluída e prende o leitor. Queremos saber o que vai acontecer. E eu quero, e espero, ter muitos mais livros da Carolina para ler, no futuro. Parabéns, miúda! Já descolaste, agora é so continuar a voar

 

Título: Regras para Descolagem

Autor: Carolina Paiva

Edição: CoolBooks

Ano de publicação: 2018

 Nº páginas: 167

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.