Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SAY HELLO TO MY BOOKS

SAY HELLO TO MY BOOKS

22
Mai18

Dicas para os primeiros dias da Feira do Livro

A Feira do Livro está quase a começar. Yuhuuu! As montagens já estão em andamento e na sexta-feira, dia 25, começa oficialmente aquele que é o evento mais aguardado do mundo livrólico, seja para comprar, ver, passear, cheirar e entrar naquele ambiente único que já sabemos como é. Eu, pessoalmente, mais que as compras e promoções, adoro passear, calmamente, no meio das bancas, ir vendo o que há, folheando...uma sensação de calma e conforto. Sentem o mesmo? 

 

IMG_0611.JPG

 

Se gostam de Alfarrabistas, como eu, tentem ir mesmo nos primeiros dias, para apanhar livros em bom estado e a preços incríveis. Obviamente os alfarrabistas não são como as grandes editoras, não há cá reposições assim que sai um livro. Portanto, ou agarram a chance ou perdem-na para sempre. E se deixarem para os últimos dias, a selecção de livros que eles levam para a feira já vai estar muito escolhida e limitada.

 

Visitem o site da Feira antes de irem. Vejam quais são os Livros do Dia, verifiquem se os títulos que querem comprar estão por lá e, assim, organizam melhor as compras (e a carteira), já vão com uma ideia feita e não se mandam às compras por impulso assim que vêem aquelas bancas gordas e atraentes à vossa frente.

 

Façam uma lista dos livros que querem comprar e escolham as prioridades. Escrevam todos num papel, se tiverem 25 títulos e só puderem comprar, por exemplo, dez...escolham aqueles que querem ler num futuro próximo e vejam se estão com desconto, seja em Livro do Dia, em Hora H, etc. Se alguns não estiverem, substituam por outros da lista. Assim mantêm-se dentro do vosso plano.  

 

Dêem uma volta à Feira com tempo, antes de se porem a comprar. Vejam onde estão as editoras que mais gostam, recolham os folhetos de cada uma com informações sobre descontos e livros do dia. Perguntem se têm ou não Hora H. Façam por planear as compras,  depois de juntar toda a informação, para que possam fazer boas escolhas e conseguirem realmente descontos que valem a pena. Todos os anos oiço gente dizer que os descontos na Feira não valem nada. Acabo por partilhar as minhas técnicas e o quanto consigo poupar na Feira e as pessoas ficam admiradas. Acreditem que com planeamento e sabendo exatamente o que querem, que descontos há e quando, conseguem óptimos negócios.

 

O site da Feira já está on e já conseguimos ter uma ideia de quais os livros que vão estar com promoções dentro do "Livro do Dia", mesmo que ainda não esteja a lista completa. Partilho alguns dos que me saltaram à vista, no primeiro fim de semana. Alguns já li, outros estão na minha wishlist, mas todos com bons descontos.

 

25 de Maio (Sexta-feira)

 

A Força do Hábito - Charles Duhigg

Leya - PVP: 20,90€ / PVP FEIRA: 16,70€ / PVP DIA: 12,50€

A Juventude é uma arte (Pensamentos e Máximas) - Oscar Wilde

Nova Vega - PVP: 8,48€ / PVP FEIRA: 6€ / PVP DIA: 5€

As pessoas felizes lêem e bebem café - Agnés Martin-Lugan

Guerra e Paz - PVP: 15,50€ / PVP FEIRA: 12,40€ / PVP DIA: 9,30€

Danúbio - Cláudio Magris

Bertrand - PVP: 15,50€ / PVP FEIRA: 10,85€ / PVP DIA: 7,75€

Obra completa de Ricardo Reis - Fernando Pessoa

Tinta da China - PVP: 25€ / PVP Feira: 17,50€ / PVP Dia: 15,23€

Os Interessantes - Meg Wolitzer

Leya - PVP: 24,90€ / PVP Feira: 19,90€ / PVP Dia: 14,90€

Uma casa na escuridão - José Luis Peixoto

Bertrand - PVP: 17,70€ / PVP Feira: 12,39€ / PVP Dia: 8,85€

Viagem ao centro da Terra- Júlio Verne

Bertrand - PVP: 8€ / PVP Feira: 5,60€ / PVP Dia: 4€

 

26 de Maio (Sábado)

 

13 Reasons Why - Jay Asher 

FNAC - PVP: 11,75€ / PVP Feira: 9,40€ / PVP Dia: 7,05€

A Amante Holandesa - José Rentes de Carvalho

Bertrand - PVP: 8€ / PVP Feira: 5,60€ / PVP Dia: 4€

A Padeira de Aljubarrota - Maria João Lopo de Carvalho

Leya - PVP: 20,90€ / PVP Feira: 16,70€ / PVP Dia: 12,50€

Ernestina - José Rentes de Carvalho

Bertrand - PVP: 18,80€ / PVP Feira: 13,16€ / PVP Dia: 9,40€

Não se pode morar nos olhos de um gato - Ana Margarida de Carvalho

Leya - PVP: 17,50€ / PVP Feira: 14€ / PVP Dia: 10,50€

O Principezinho - Antoine de Saint-Exupéry

Leya - PVP: 5,50€ / PVP Feira: 4,40€ / PVP Dia: 3,30€

Os Homens que odeiam as Mulheres - Stieg Larsson

Leya - PVP: 20,90€ / PVP Feira: 16,70€ / PVP Dia: 12,50€

Os Romances de Machado de Assis - Machado de Assis

VASP Premium - PVP: 79,50€ / PVP Feira: 63,60€ / PVP Dia: 39,75€

 

27 de Maio (Domingo)

 

A Arte da Guerra - Sun Tzu 

Edições Sílabo - PVP: 15,55€ / PVP Feira: 12,40€ / PVP Dia: 9,30€

A Guerra dos Tronos - George R.R. Martin

Saída de Emergência - PVP: 19,03€ / PVP Feira: 13,32€ / PVP Dia: 9,52€

A Guerra não tem rosto de mulher - Svetlana Alexievich

20|20 Editora - PVP: 20,99€ / PVP Feira: 16,79€ / PVP Dia: 12,59€

A Rapariga no Comboio - Paula Hawkins

20|20 Editora - PVP: 18,79€ / PVP Feira: 15,04€ / PVP Dia: 11,27€

Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie

Leya - PVP: 24,90€ / PVP Feira: 19,90€ / PVP Dia: 14,90€

Norwegian Wood - Haruki Murakami

Leya - PVP: 21,90€ / PVP Feira: 17,50€ / PVP Dia: 13,10€

O Fim da Inocência - Francisco Salgueiro

Leya - PVP: 15,50€ / PVP Feira: 12,40€ / PVP Dia: 9,30€

Portugal, Histórias e Lendas - Isabel Alçada / Ana Maria Magalhães

Leya - PVP: 16,50€ / PVP Feira: 13,20€ / PVP Dia: 9,90€

Que importa a fúria do mar? - Ana Margarida de Carvalho

Leya - PVP: 15,90€ / PVP Feira: 12,70€ / PVP Dia: 9,50€

Will & Will - John Green / David Levithan 

Leya - PVP: 15,90€ / PVP Feira: 12,70€ / PVP Dia: 9,50€

 

03
Abr18

O que foi lido no Março Feminino 2018?

Mais um ano, mais um Março Feminino. Fico muito feliz por tanta gente ter participado e tantas mulheres terem sido lidas, num só mês, dentro do projeto. É sempre esse o principal objetivo e acho que correu muito bem, como podem ver na imagem abaixo. Fiz um apanhado de várias fotografias que foram sendo partilhadas ao londo do mês com #marçofeminino nas redes sociais. Das clássicas às contemporâneas, das portuguesas às que estão do outro lado do mundo, das que relatam factos sobre a sua vida ou das que dão asas à imaginação, leu-se um bocadinho de tudo. Tão bom. 

 

todos1.jpg

 

Nas leituras do Março Feminino 2017 foram lidas 40 autoras. Este ano chegámos às 52, ainda que várias pessoas tenham lido as mesmas autoras. Fica a lista das várias mulheres lidas (se faltar alguma, avisem-me para acrescentar): 

 

Adília Lopes

Agatha Christie

Alexandra Bracken 

Alison Bechdel 

Ana Saragoça

Arundhati Roy

Cara Delevingne

Camila Alves Costa

Carol Rossetti 

Carson McCullers

Cecilia Ahern 

Charlotte Bronte

Chimamanda Ngozi Adichie 

Clarice Lispector 

Cristina Sant'Ana Costa 

C. J. Tudor

C. L. Taylor 

Dorothy Koomson

Dulce Garcia 

Elena Favilli 

Elizabeth Barrett Brownling 

Florencia Bonelli 

Francesca Cavallo 

Inês Nunes Pimentel 

Isabela Figueiredo

Jeannette Walls 

Joanne Harris 

Jodi Picoult 

Jojo Moyes 

K. L. Slater

Lydia Gouardo

Liv Constantine 

Louisa May Alcott

Magda Szabó

Margaret Atwood

María Gainza 

Maria Teresa Horta

Mariana Alcoforado 

Mary Shelley 

Megan Maxwell 

Megan Miranda 

Melissa Hill

Nadia Murad

Patricia Reis

Rainbow Rowell 

Rupi Kaur

Sara Laedel 

Sheena Kamal 

Sophia de Mello Breyner 

Teolinda Gersão 

Ursula Doyle 

Xinran

 

Obrigada a todos que participaram. Estes desafios são sempre óptimos para incentivar a leitura de alguns géneros menos falados, para partilhar dicas e indicações, para conhecer mais, para ler mais, para crescer mais. Em 2019 cá estaremos! 

09
Mar18

A Contadora de Histórias, Jodi Picoult

IMG_1163.JPG

 

Não se deixem enganar pela capa fofinha, é uma história de peso. Gostei muito deste livro. Nunca tinha lido nada da Jodi, por isso não tinha uma ideia formada sobre a "fórmula" que ela usa nas suas obras, como tanta gente diz. Fui de espírito aberto, apenas sabendo que tinha alguma coisa relacionada com o Holocausto. É um dos tema que mais gosto, mas só tinha lido livros de não ficcão. E este, mesmo tendo personagens e relatos ficcionados, mexeu comigo. E, quem leu, diga lá se este álbum de fotos não faz lembrar o caderninho da Minka? 

 

"Por vezes, tudo o que precisamos para viver mais um dia é de uma boa razão para ficar neste mundo". 

 

A Contadora de Histórias está dividida em três partes e os capítulos são narrados por personagens diferentes. Isso dá-nos várias perspectivas, que nos falam do presente e do passado. Na primeira parte ficamos a conhecer Sage, uma jovem padeira, que tem uma autoestima baixissíma pela enorme cricatriz que tem na cara, sem amigos e que, por já ter perdido os pais, se sente sozinha e alheia do mundo em geral. Tudo muda quando conhece Josef, um senhor com mais de 90 anos, que lhe conta um segredo terrível, na mesma altura em que descobre que a sua avó é sobrevivente do Holocausto e esteve num campo de concentração. Ficamos completamente envolvidos com a história. É cativante ao ponto de não dar vontade de pousar o livro.  Os meus capítulos preferidos são os narrados por Minka, a avó de Sage, sobre o que passou quando era jovem. São 500 páginas em bom, apesar de achar a terceira parte um bocadinho mastigada. Podia ter no mínimo, menos 50 páginas.

 

"Verifico que partilhar o passado com uma pessoa é diferente de revivê-lo quando se está sozinho.

É sentido menos como uma ferida e mais como uma cataplasma". 

 

Há também uma história dentro da própria história, que vamos conhecendo entre capítulos e que só percebemos quem escreveu mais para a frente. Ao início não tem muito sentido, mas depois percebemos o quão importante é e foi. Acho este "pormenor" muito bom e acaba por ligar todo o enredo de uma forma tocante. 

 

Não quero dar spoilers, por isso não posso contar muito. Mas posso sugerir esta leitura para quem gosta de romance, de histórias sobre a capacidade humana de sobreviver ao impossível, a capacidade de perdoar, a capacidade de nos libertarmos de pensamentos e pessoas tóxicas, a capacidade de lidarmos com os nossos "monstros" pessoais. O livro fez-me refletir sobre a minha prória capacidade de perdoar e a minha compaixão pelo próximo. O que faria se alguém me pedisse o que Josef pediu a Sage? O que sentiria por alguém que fez mal à minha família? Não sei responder. Leiam este livro. Não se vão arrepender. Enquadrei-o no projeto "Um ano com a Jodi" da Isaura, Elisa e Dora, e também para as leituras do Holocausto em Janeiro.  

 

"Mas perdoar não é algo que se faz por alguém. É algo que fazemos por nós próprios.

É dizer: não és suficiente importante para teres esse poder sobre mim. É dizer: Não me deixes preso ao passado, eu mereço um futuro". 

 

Título: A Contadora de Histórias 

Autor: Jodi Picoult

Edição: Bertrand, 2015

Ano de publicação: 2013

 Nº páginas: 514

08
Mar18

Livros preferidos de 10 escritoras

Todos nós, leitores comuns, temos os nossos livros preferidos. Pois que elas, as que os escrevem, também têm os seus. É engraçado perceber os gostos e imaginar de que forma os seus livros preferidos influenciaram as suas próprias obras. 

 

Jane Austen 

A escritora inglesa foi uma leitora frequente de poesia e peças de teatro. O seu livro favorito, segundo consta, é A História de Sir Charles Grandison, publicado em 1753 por Samuel Richardson. 

jane.jpg

 

J.K. Rowling

A criadora de Harry Potter, uma romântica assumida, tem como livro preferido um clássico inglês, que está ligado à escritora anterior. O livro favorito de JK Rowling é Emma, de Jane Austen, ainda que Orgulho e Preconceito também seja indicado algumas vezes. "O leitor é levado pela história, atraído até ao final", ainda que não haja "nada berrante ou chamativo demais". Diz ela, e eu concordo, acreditanto que é mesmo esse o encanto dos livros de Jane Austen. 

jk2.jpg

 

Paula Hawkins

Este título está aqui em representação de toda a obra de Agatha Christie, autora que marcou a adolescência de Paula Hawkins. Diz mesmo que foi a sua “primeira experiência no crime” e, certamente, uma grande inspiração para os seus próprios livros. A autora diz gostar também dos livros de Gillian Flynn e Tana French. 

paula.jpg

 

Virginia Woolf

Fiódor Dostoiévski é “obviamente o melhor autor de todos os tempos” para Virginia Woolf. A autora apontava duas obras do escritor russo como sendo os seus livros de cabeceira. Um deles é Crime e castigo, que indica para aqueles que querem começar a conhecer a obra de Dostoiévski, e também Os irmãos Karamazov

virginia.jpg

 

Patti Smith

Quem leu "Apenas Miúdos" de Patti Smith, sabe que a literatura teve uma grande influência na sua vida desde muito jovem. Durante a adolescência descobriu a poesia francesa de Charles Baudelaire e Arthur Rimbaud. Mais recentemente apontou “2666” de Roberto Bolaño como "a primeira obra-prima do século XXI.”

patti.jpg

 

Hilda Hilst

A escritora brasileira era fã assumida de Simone de Beauvoir. A sua obra mais apreciada por Hilda Hilst é A velhice, um ensaio que trata o olhar das sociedades sobre os idosos, ao longo da história.

hilda.jpg

 

Maria Ribeiro

Diz que a sua principal influencia literária foi Rubem Braga, cronista brasileiro, que leu quando ainda era muito jovem. "Ali percebi a grandeza do dia a dia, e me dei conta de que um simples café podia virar uma viagem épica, dependendo de como você olhava pra ele".

mariaribeiro_0586671-horz.jpg

 

Ana Maria Magalhães

Uma das autoras da coleção "Uma Aventura", aponta As Cidades Invisíveis, de Italo Calvino como um livro que deve ser lido. "É muito original, marcado por uma espécie de jogo entre elementos resultantes da imaginação prodigiosa do autor e reflexões pertinentes que vai fazendo sobre a realidade".

500x500-horz.jpg

 

Teolinda Gersão

A escritora portuguesa indica Contos Completos, de Lydia Davis. "Ela tem uma forma muito própria de pegar nos temas para escrever sobre eles. É muito original, muito forte, muito criativa. Admiro muito a sua obra".

teolinda-gersao280915-horz.jpg

 

Clara Ferreira Alves

A autora diz que se a sequestrassem e pudesse escolher algumas obras para ter com ela, levaria qualquer um de Nabokov e destaca The heart of the matter, de Graham Greene. 

clara-horz.jpg